Vamos conversar?
+1 438 600 0063

por Riteba McCallum
1 junho 2020

Como escrever e traduzir sobre a COVID-19: tudo o que você precisa saber

A pandemia da COVID-19 introduziu novas palavras em nosso vocabulário diário, muitas delas com definição semelhante ou confusa. Você tem certeza de que está usando os termos corretamente? Resolvemos esclarecer de uma vez por todas essa confusão. Veja aqui as respostas para suas principais dúvidas sobre o coronavírus.

P: Qual é a diferença entre “coronavírus” e “COVID-19”? Posso usar os dois da mesma forma? É redundante dizer “o coronavírus COVID-19”?

Em resumo: para o vírus, use “coronavírus” informalmente ou “SARS-CoV-2” se quiser ser mais preciso. Use “COVID-19” ou “doença do coronavírus” para se referir à doença.

R: Coronavírus é um grupo de vírus que causa diversas doenças em humanos e animais. Ao falar em “coronavírus” no atual contexto, todos saberão a que tipo você se refere, mas, tecnicamente, não é muito específico. O nome do vírus que causa a atual pandemia é “síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2” (SARS-CoV-2, na sigla em inglês). Para abreviar, as pessoas usam apenas “coronavírus”.

Um fator importante a ser observado é que os vírus normalmente têm nomes diferentes de suas consequentes doenças. Por exemplo, HIV é o vírus que causa a AIDS. A doença causada pela SARS-CoV-2 é chamada COVID-19, que é a abreviação em inglês de “doença do coronavírus 2019”.

Se você quiser saber mais sobre o tópico, a OMS tem uma página exclusiva (em inglês) na qual explica como chegou a esse nome.

P: Qual é a diferença entre epidemia e pandemia?

R: Segundo a Revista Galileu, uma doença é considerada epidemia quando se espalha por uma área ampla de uma cidade, estado ou país, infectando várias pessoas ao mesmo tempo. Se ela se espalha ainda mais, afetando uma área geográfica ainda maior e infectando uma parte significativa da população do mundo todo, a doença é considerada pandemia. Para ser declarada pandemia pela OMS, é necessário ter casos confirmados da doença em todos os continentes.

Ou seja, a pandemia é uma epidemia mais grave, sendo o pior dos cenários. Você pode usar os dois termos para descrever a COVID-19, mas “pandemia” reflete mais a gravidade da crise e seu alcance global.

P: Qual é a diferença entre isolamento, quarentena, distanciamento social e confinamento (lockdown)?

R: Segundo a Portaria nº 356 do Ministério da Saúde, de 11 de março de 2020, “isolamento” é a separação de pessoas sintomáticas da sociedade para conter a disseminação da doença. “Quarentena” se refere à separação e restrição de movimentação de pessoas saudáveis visando “reduzir a transmissão comunitária e garantir a manutenção dos serviços de saúde”.

“Autoisolamento” é usado quando alguém se coloca em estado de isolamento ou quarentena. Se você acabou de voltar de viagem ou tem sintomas da COVID-19, precisa de autoisolar.

O ato que muitos de nós estamos praticando é o “distanciamento social”. Não temos sintomas e não fomos expostos à doença, mas estamos evitando contato com pessoas para que não sejamos infectados nem disseminemos a doença.

“Confinamento” (em inglês, lockdown, como temos visto em vários países do mundo) é quando o governo impõe restrições de emergência impedindo que as pessoas saiam de casa, exceto por motivos essenciais específicos. Basicamente, é um distanciamento social imposto pelo governo.

P: Como traduzir tudo isso?

R: Isso é fácil! O Tecla SAP, do intérprete Ulisses de Carvalho, publicou recentemente um breve glossário bilíngue (inglês-português) de terminologia relacionada ao coronavírus, disponível aqui. Ele foi elaborado em parceria com o Coletivo Intérpretes e Maria Carbajal.

Use o termo certo.

Há muita incerteza e confusão no momento, mas não precisa ser assim com o uso da língua. Tem uma dúvida de terminologia? Entre em contato com a OXO. Será um prazer encontrar a resposta para você.

Voltar ao Blog